Projeto Tigrinhos renova parceria com a Unesc

projeto-tigrinhos-unesc-3.jpg

Foto: Mayra Lima / Unesc

Os sonhos de diversas crianças da região de Criciúma estão sendo realizados por meio do Projeto Tigrinhos. O amor ao esporte e a dedicação aos estudos são as peças chave para os participantes deste projeto, que tem uma parceria com a Unesc há anos. Esse caminho foi renovado na tarde desta quinta-feira (20/7), em um encontro entre o Criciúma Esporte Clube e a Reitoria da Universidade.
Para a reitora da Unesc, Luciane Ceretta, o projeto é de suma importância para o desenvolvimento regional. “São oportunidades para essas crianças. Muitas são trazidas de outros cenários para se desenvolverem por meio da paixão do futebol. Além disso, esse vínculo do projeto com a Universidade facilita e mostra o caminho até o Ensino Superior”, ressaltou.
O presidente do Criciúma Esporte Clube, Jaime Dal Farra, comentou que essa renovação fortalece as ações do projeto. “Junto com a Unesc nós buscamos o aperfeiçoamento do aspecto social que se desenvolve por meio dos sonhos dessas crianças. Para participar do projeto, elas precisam ter boas notas na escola. Nós acompanhamos o progresso deles dentro da sala de aula, trabalhando lado a lado com o ensino”, comentou.


Projeto terá uma categoria feminina

Entre os assuntos debatidos no encontro, foi levantado o desenvolvimento de uma categoria feminina dentro do projeto. O coordenador do Projeto Tigrinos na Unesc, Bruno Dandolini Colombo, comentou sobre a ação. “Vivemos em um momento de grande importância para o debate sobre as questões de gênero. O projeto quer romper com essa lógica que o futebol é masculino e construir novos caminhos”, afirmou.

Também participaram do encontro, o vice-reitor Daniel Preve, diretor da UNA HCE (Unidade Acadêmica de Humanidades Ciências e Educação), Marcelo Feldhaus, o coordenador do curso de Educação Física, Carlos Augusto Euzébio, o coordenador adjunto do curso de Educação Física, Joel Casagrande, e o coordenador da categoria de base de Criciúma, Sergio Marcos Lopes.

 

Texto: Mayra Lima / Comunicação Unesc

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *