Logo Rádio Hulha Negra

Mulher dá à luz a uma menina na UPA de Criciúma

14/08/2019

O preparo e a união de uma equipe de oito profissionais garantiu um final feliz para uma paciente grávida que deu entrada na UPA (Unidade de Pronto Atendimento) de Criciúma durante um recente plantão noturno.

Era por volta das 19h quando a grávida deu entrada na unidade reclamando de muitas dores e havia a suspeita de que a moça teria uma gravidez ectópica – quando a criança é gerada nas trompas, não no útero – mas a surpresa foi maior: na verdade, a paciente estava em adiantado trabalho de parto.

Sem tempo hábil para a transferência da gestante, a equipe que atendeu a ocorrência contou com nove profissionais, sendo três médicos, duas enfermeiras e quatro técnicos de enfermagem, que atuaram com espírito de equipe e agilidade para auxiliar a paciente no primeiro parto ocorrido naquela unidade de pronto atendimento.

“A UPA não é um local adequado para partos, é preparada para atendimentos de média complexidade e sem internação; Apesar disso, a urgência da situação fez com que a equipe se unisse e prestasse esse atendimento, que culminou no nascimento de uma bela menina aqui na sala de trauma da nossa unidade”, festeja o diretor do UPA, Fabiano Teixeira, que diz que o momento foi de muita emoção a todos da equipe.

“Em momentos especiais como este, fico muito orgulhoso da equipe de enfermagem coordenada pela gerente Katiani Albano, é uma equipe de profissionais altamente qualificada e preparada para diversos tipos de urgências, para servir e salvar vidas”, afirma.

A certeza de que a paciente estava no momento do parto e sem tempo para transferência a um hospital foi constatada pelo médico, Diego Simiano, e a enfermeira obstetra, Patrícia Bordignon, que possui experiência de seis anos em centros obstetrícios.

A enfermeira é autorizada pelo Conselho Federal de Enfermagem a fazer partos sem complexidade e sua experiência foi fundamental para a condução do parto normal na sala de trauma da UPA de Criciúma que, felizmente, foi rápido e sem nenhuma sequela, já que a mãe da criança também estava tranquila e colaborativa.

Em questão de minutos após o exame de toque, às 19h48min, na sala de trauma da UPA, nasceu uma bela menina, que representa o primeiro parto ocorrido na unidade.

Mãe e criança passam bem e foram encaminhadas pelo Samu ao Hospital Santa Catarina logo depois do procedimento.

“Graças a uma equipe unida e esforçada, conseguimos ter sucesso nesse atendimento, que resultou no primeiro parto aqui na UPA de Criciúma”, destacou a enfermeira obstetrícia, que disse que embora tenha somado grandes experiências em sua carreira, este primeiro parto na UPA será inesquecível.

“Foi uma correria, uma tensão, porém muito emocionante e recompensador; Um privilégio ver a sincronia da equipe em prol do sucesso deste procedimento e perceber que o espírito de equipe faz a grande diferença; Para mim, um momento que vou guardar por toda a vida”, finalizou.

Mulher dá à luz a uma menina na UPA de Criciúma