Logo Rádio Hulha Negra

Idoso morre depois de esperar por 17 horas por uma vaga em UTI em Florianópolis

19/06/2019

Um idoso de 95 anos morreu depois de esperar por 17 horas por uma vaga numa Unidade de Terapia Intensiva (UTI) no Hospital Regional de São José, na Grande Florianópolis.

Ele estava com uma infecção na bexiga.

A família afirma que ele não foi medicado durante esse período, o que foi negado pela Secretaria de Estado da Saúde.

O caso ocorreu na tarde desse domingo (16).

Eugenio Berguentau foi levado por familiares para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Forquilhinhas, em São José, por volta das 19h de sexta-feira (14).

A equipe médica diagnosticou o idoso com infecção na bexiga e entendeu que ele tinha que ficar internado numa UTI.

O plano de saúde não conseguiu achar uma vaga na rede particular e, somente às 22h, obteve autorização para que ele fosse ao Hospital Regional, onde ficou no corredor esperando por uma vaga na UTI até as 16h de sábado (15), sendo naquele horário transferido para uma Unidade de Terapia Intensiva de um hospital particular na capital, mas não resistiu à infecção.

Familiares dizem que houve problema no atendimento ao paciente.

“Falhou no recebimento dele no Hospital Regional, onde teve negligência por parte da equipe médica e da enfermagem; Ele poderia estar vivo se tivesse recebido o medicamento; Ele ficou 17 horas no Hospital Regional sem receber nenhum tipo de medicamento”, disse Wagner Brumoro, neto de Eugênio.

A Secretaria de Estado da Saúde disse que o idoso fez exames de exames de laboratório, raio-x de tórax e foi prescrito antibiótico.

Informou ainda que os médicos que fizeram o atendimento inicial não julgaram necessária a internação na UTI porque o paciente não tinha disfunção orgânica, nem alterações laboratoriais que sugerissem isso, nem precisava de suporte ventilatório.

Fonte: G1SC Foto: Reprodução NSC
Idoso morre depois de esperar por 17 horas por uma vaga em UTI em Florianópolis
Logo Rádio Hulha Negra
Rádio Hulha Negra - Todos os direitos reservados ©