Logo Rádio Hulha Negra

Caso Menina Iara: Investigação policial não descarta crime

10/06/2019

Antes mesmo do reencontro de Iara, a Polícia Civil buscava um desfecho para o sumiço, contando com apoio da PM que realizava barreiras pela região.

De acordo com o delegado regional de Laguna, Raphael Giordani, há mais de uma linha de investigação para o caso.

“De antemão, preferimos resguardar as informações, para não atrapalhar o trabalho; porém adianto que nenhuma hipótese está descartada”, informa.

Dentre as situações que chamaram a atenção da polícia foi o fato de Iara ser encontrada tão próxima de casa, num local onde já haviam sido feitas buscas diversas vezes.

“Além disso, a menina, apesar de estar picada por insetos, não estava com as roupas molhadas, característica de quem teria passado a noite na mata, em local ermo e frio; já estamos com a investigação adiantada”, antecipa o delegado.

O caso está sob responsabilidade da delegada Patrícia Fronza.

Adotada pela família de Iara há alguns meses, a vira-lata, chamada carinhosamente de Jurema, esteve com a menina durante as 21 horas do desaparecimento.

De acordo com o capitão Marques, o cão estava ao lado direito da menina quando ela foi encontrada.

“Sem dúvida ela foi um anjo que cuidou da Iara”, fala o bombeiro.

Antes de ser adotada, Jurema foi abandonada nas ruas, resgatada por uma voluntária e doada à família.

As buscas por Iara mobilizaram dezenas de bombeiros, policiais militares e civis, além da comunidade.

Por mais de 20 horas, mais de 100 bombeiros, de serviço e de folga, atuaram para reencontrar a menina.

Os trabalhos seguiram de forma ininterrupta com drones, helicóptero Arcanjo 01 e da Polícia Civil, mergulhadores e ainda os cães de busca Bravo e Zaara, além do Canil de Braço do Norte.

No local foram realizadas buscas no terreno e buscas subaquáticas nos poços da localidade, inclusive no período noturno.

Toda a operação envolveu cerca de 110 bombeiros militares e comunitários com 29 viaturas, policiais militares, cinotécnicos, policiais civis e moradores da região.

De acordo com o comando do Corpo de Bombeiros, a ocorrência foi bastante complexa, em virtude do terreno acidentado com aclives e declives, quedas d’água e vegetação densa.

Ademais, grande parte das buscas foi realizada no período noturno, com auxílio de lanternas, câmera térmica e equipamentos de mergulho.

Após o reencontro de Iara, todos os presentes não contiveram a emoção.


Fonte: Diário do Sul
Caso Menina Iara: Investigação policial não descarta crime