Mãe e filhos passam noite de terror

SIRENE.jpg

Nas primeiras horas da manhã desta terça-feira, dia 26, a Polícia Militar de Araranguá foi acionada para verificar um caso que infelizmente é bastante comum ainda nos dias de hoje, o de violência doméstica. Chegando ao local dos fatos, uma residência localizada no bairro Operária, os militares constataram que duas crianças, um menino de um ano e dois meses e uma menina de seis anos, estavam envolvidos com a violência.

De acordo com informações da PM, vizinhos estavam reclamando de que um homem, de 36 anos, estava agredindo a esposa, de 29 anos, dentro de casa desde a noite de segunda-feira. Os vizinhos também contaram que passaram toda a madrugada de terça-feira ouvindo gritos, vindo da casa da família.

Quando os militares chegaram na residência, o homem estava com o filho de 1 ano e dois meses no colo e a esposa estava apavorada, tremendo e bastante abalada. Os policiais conversaram com a mulher, explicaram o que ela deveria fazer para requerer Medida Protetiva e levaram a família para Central de Polícia para os procedimentos cabíveis. Na CP, a vítima registrou um Boletim de Ocorrência (BO) contra o marido.

A mulher contou aos militares que foi ameaçada pelo marido com um facão, que o agressor se revoltou, pois ela não queria mais o relacionamento. O homem ainda empurrou a menina de 6 anos, que é enteada dele e machucou a criança na região entre o peito e o pescoço, deixando uma marca.

A mulher agredida conversou com a reportagem na CP, ela estava com os dois filhos, quieta e bastante assustada. Segundo a vítima, o marido chegou agitado na noite de segunda-feira, as crianças queriam dormir e ele não deixava. O agressor não deixou ninguém dormir a noite inteira e permaneceu o tempo todo com um facão na mão, proferindo vários palavrões contra a esposa e dizendo que iria matá-la.

Por volta das 4h30min o homem dormiu, de manhã, com o marido mais calmo, a mulher pediu a separação e disse que ele poderia ficar com a casa. “Hoje de manhã, quando ele estava mais calmo eu ofereci a casa, para eu ter uma liberdade, daí ele não aceitou. Eu disse que não adiantava ter uma vida deste tipo”, relatou a mulher.

Segundo a vítima, na parte da manhã, quando o marido foi para um dos quartos da casa, ela foi correndo até uma vizinha e pediu socorro, porém o homem a pegou pela cintura, levando-a de volta para casa. “Daí ele disse que me amava, eu disse que isso daí não é amor”, falou a mulher. O homem ainda questionou à esposa se ela queria que ele fosse preso.

Conforme a esposa, o casal está junto há dois anos. A Polícia Militar acionou o Conselho Tutelar para acompanhar o caso e a mulher confirmou para a reportagem que quer a Medida Protetiva contra o marido.

Fonte: Gislaine Fontoura/Correio do Sul

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *