Estudo do Observatório Social calcula economia de aproximadamente três milhões por ano na Câmara de Vereadores de Criciúma

sinésiooo.png

Foto: Reprodução / TV Litoral Sul

Um estudo apresentado pelo Observatório Social de Criciúma na manhã desta segunda-feira (28) prevê a redução dos gastos da Câmara de Vereadores do município em três milhões de reais por ano. A diminuição do número de assessores parlamentares,cargos comissionados e o corte de pagamentos superiores ao teto são as medidas necessárias, segundo o estudo.

Ativo em Criciúma desde 2014 e com o objetivo de observar as contas públicas, o Observatório Social apresentou um de seus mais importantes estudos nesta manhã. Segundo o presidente Sinésio Volpato, atualmente 87 % dos gastos da Câmara é com o pessoal, e 13 % com materiais e contas.

O número de assessores parlamentares atualmente é de 34 e o estudo estimula que com a diminuição para 17 sejam economizados R$ 1.709.000, 00 por ano.

Outra redução apresentada é o número de cargos comissionados, de oito para três, o que diminuiria R$ 656 mil anual.

E por fim, o corte de pagamentos maiores que o teto, que é o do prefeito do município. Com esse corte a redução seria de R$ 540 mil por ano. Somando as reduções e os cortes, anualmente a Câmara economizaria R$ 2,9 mi por ano.

O estudo foi protocolado na Câmara de Vereadores na última sexta-feira (25) e encaminhado ao atual prefeito, Márcio Búrigo e ao prefeito eleito, Clésio Salvaro.

O presidente do Observatório Social, Sinésio Volpato, concedeu entrevista ao repórter Rafael Bicca, e explicou o estudo. Ouça:

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *