Capoeira melhora coordenação e disciplina das crianças do CEI Aluim Michels, no Rio Maina

capoeira.jpg

Os primeiros registros da capoeira no Brasil datam do início do século XIX, porém, o jogo já existia na África, de onde foi trazido pelos escravos. Passados 200 anos, essa prática é tida como um instrumento para levar disciplina, coordenação e respeito ao próximo. Por isso, na manhã dessa quarta-feira (19), os alunos do Centro de Educação Infantil (CEI) Aluim Michels, mantido pela Associação Feminina de Assistência Social (Afasc), no distrito do Rio Maina, tiveram uma manhã diferente. Com direito a pandeiro, berimbau e o tradicional “Paranauê”, os pequenos participaram de uma aula de capoeira com Filipe Alexandre Creaste, estagiário do Grupo Beribazu.

De acordo com o professor, mais que um jogo, dança, luta ou esporte, a capoeira é uma expressão cultural que contribui para o desenvolvimento, coordenação motora, disciplina, atenção e respeito aos colegas. “Os ensinamentos ficam para toda a vida e ajudam até mesmo em outras áreas”, comenta. “Nós, do Beribazu, só temos a agradecer pela oportunidade que a Afasc nos deu, pois assim, desde cedo, oferecemos uma atividade que vai evitar que essas crianças fiquem nas ruas e tomem caminhos errados”, enfatiza.

Respeito, amor e carinho

Para a diretora do CEI, Giane Cristina de Jesus, a iniciativa tem o objetivo de fortalecer a interação entre as crianças em um ambiente escolar harmonioso, de forma lúdica. “Junto com as famílias, queremos oferecer aos nossos alunos o conhecimento de limites e disciplina, para que possam se respeitar com amor e carinho”, explica, frisando que a capoeira pode contribuir para que os pequenos estejam bem consigo mesmos e com os outros.

Além de Creaste e dos outros membros do Grupo Beribazu, a atividade foi coordenada pelas professoras Cintia Creaste de Souza, Andrezza Biava Manente e Tamires Urbano Magenis. O CEI Aluim Michels conta, atualmente, com 82 alunos de zero a três anos, atendidos nos turnos da manhã e tarde, de segunda a sexta-feira.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *